Visão de Mundo

O  “CAPETA” – Capital e Estado, é um grupo de pesquisa, extensão e ativismo político em favor do desenvolvimento sócio-econômico-político-cultural das nações  da periferia do capitalismo global.  Somos professores e estudantes de economia, relações internacionais, e humanidades que têm como ponto de partida uma Economia Política renovada, na qual o material e o social andam juntos. Para nós, mercado e Estado, dinheiro e poder, são instituições sociais constitutivas uma da outra. Particularmente o Estado pode e deve ser tratado como uma categoria de análise endógena ao funcionamento do capitalismo; o que significa que as dinâmicas do poder são complementares às da acumulação de capital.

A pesquisa central do grupo no momento (2018) consiste numa série de estudos sobre a perda de soberania das nações periféricas na realização de políticas desenvolvimentistas devido a (des)ordem financeira global atual baseada na supremacia do dólar, na livre mobilidade de capitais, e no poder comunicacional da elite global na construção de sistemas de informações “secretos”.  Essa pesquisa se constrói via leituras em grande grupo, escrituras a muitas mãos, e submissão de toda produção à crítica do grupo e à opinião pública em geral antes e prioritariamente que às hostes acadêmicas e às revistas especializadas, o que não implica excluí-las.

No que diz respeito ao ativismo político, nosso principal objetivo é contribuir para a articulação de grupos de pensadores e ativistas das mais diversas correntes politicas desde que enxerguem no sistema monetário e financeiro vigente ao nível internacional uma limitação estrutural ao desenvolvimento nacional economicamente viável, socialmente justo e ecologicamente sustentável.  Assim, nossa disposição maior é colaborar para a construção de uma rede de discussão capaz de pensar, formular e propor políticas que sejam mais condizentes com tais objetivos.

Para tanto é necessário, em termos acadêmicos, superar as análises ainda presas em modelos puramente abstratos, procurando nos aproximar de métodos que envolvam a análise e o tratamento de dados com o objetivo de fornecer maior embasamento empírico a nossas proposições. Em termos políticos, urge superar a discussão meramente acadêmica.